Encontro Econômico Brasil-Alemanha - EEBA

 

 Rodadas de Negócios do EEBA 2017 terão entre seus temas prioritários o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC)

 imagem TIC

 

 Legenda – Novos negócios no setor podem surgir a partir do EEBA 2017
Crédito: Ilustração Onlyyouqj/Freepik

 

Inscrições para o Matchmaking do 35º Encontro Econômico Brasil Alemanha abrem espaço para empresas interessadas em negociar investimentos, parcerias, novas tecnologias e interação nos dias 12, 13 e 14 de novembro, em Porto Alegre.

A  economia da chamada TIC, Tecnologia da Informação e Comunicação, é uma das mais dinâmicas do mundo em termos de inovações tecnológicas. Em alguns de seus segmentos, como o de aparelhos de telefonia, incluem-se ícones de consumo, como os smartphones e todas as possibilidades de comando mobile que permitem. Para os participantes do 35º Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA), que vai ocorrer na sede da FIERGS, em Porto Alegre, de 12 a 14 de novembro de 2017, este será um aspecto bem relevante nas possibilidades de negociações entre empresas dos dois países. A partir da TIC, oportunidades de negócios em aplicativos, softwares, ideias de startups, empresas de infraestrutura e etc. poderão ser debatidas. No site www.eeba2017.com, as inscrições para o Matchmaking já estão abertas e basta preencher o formulário.

O investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D) em TICs é extremamente significativo. Entre as 20 maiores empresas de destaques em P&D no mundo muitas são do setor, como Microsoft, Apple, IBM, Intel, Google, Samsung, SAP, LG, Facebook, etc. No Brasil, as indústrias de informática e de telefonia, caracterizadas respectivamente pela proteção da Lei de Informática, no passado, e pelas compras do sistema Telebrás, sofreram profundas modificações decorrentes da abertura de mercado e da privatização. A década de 1990 caracterizou-se por um forte ingresso de empresas estrangeiras que, em alguns casos, passaram a investir em plantas voltadas para exportação, especialmente no caso de aparelhos celulares.

Segundo uma pesquisa recente da consultoria Deloitte, seis em cada dez executivos de empresas brasileiras têm dedicado recursos para infraestrutura de tecnologia da informação e softwares, justamente como parte das medidas para ganhar produtividade. De 2014 a 2016, as empresas continuaram investindo, em média, 7,6% de suas receitas líquidas em tecnologia. “Por causa da queda nas vendas e da recessão econômica do País, esperávamos que os investimentos em TI diminuíssem. Não foi o que aconteceu”, diz Fernando Meirelles, professor de TI na faculdade de administração da Fundação Getulio Vargas (FGV) de São Paulo, que conduziu um estudo com 2.540 empresas brasileiras. Por outro lado, conforme dados da consultoria Gartner, especializada em tecnologia, os investimentos em equipamentos, armazenamento de dados, softwares e consultoria nessa área deverão crescer 19% neste ano. Apesar de uma queda registrada em 2015, o montante previsto para 2017 — R$ 133 bilhões — é o maior da década.       

Contudo, o setor apresenta fraquezas estruturais. Em primeiro lugar, existe uma forte dependência da importação de componentes eletrônicos, que têm importância crescente no valor agregado dos produtos. Em segundo lugar, as companhias brasileiras estão relativamente por fora do circuito de criação de novos padrões tecnológicos, característica dessa indústria. O Brasil é muito visado como mercado consumidor e entre as possibilidades de negócios existentes está a atração de estúdio de games de grande porte, pois essa é uma área na qual o perfil nacional tem grande adesão às novidades.

Especificamente no Rio Grande do Sul, que é a sede do EEBA 2017, os parques tecnológicos ligados às universidades locais despontam como centros de geração de talentos profissionais em TIC e realizam importante trabalho de pesquisa para a inovação. Os parques tecnológicos consolidados são: TECNOPUC – Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (inaugurado em 2003), TECNOSINOS – Parque Tecnológico de São Leopoldo (inaugurado em 1999) e VALETEC – Parque Tecnológico do Vale do Sinos (inaugurado em 2005).

Na área de StartUps, também há um movimento crescente de empresas com esse perfil no Sul do Brasil. Em recente pesquisa divulgada pelo SEBRAE/RS, foram mapeados 150 negócios digitais. Destes, a maioria está localizada na Região Metropolitana. O perfil das empresas digitais com potencial de crescimento por meio de investidores é de SaaS - software vendido como serviço; Marketplace: plataforma que une compradores e vendedores; E-commerce: vendas online de produtos ou serviços e Aplicativo: soluções mobile (celular, tablet, etc.).

           

Encontro Econômico Brasil Alemanha 2017 - O EEBA 2017 será realizado entre os dias 12 e 14 de novembro na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. O encontro é organizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIERGS, BDI e Confederação Nacional da Indústria (CNI). Localmente, o evento conta com o apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, SEBRAE e Câmara Brasil-Alemanha de Porto Alegre.

 

Inscrever-se neste evento
até dia 10 Nov 2017.
Organizadores
Agenda
Inscrição 17 Mar – 10 Nov
Selecção de reuniões 1 Out – 10 Nov
Evento 12 Nov – 14 Nov
Detalhes
Idioma Portuguese/German
Local Porto Alegre-RS
Reuniões de Negócios
Participantes 167
Reuniões 8
Participantes
_Other Region 1
Alemanha 96
Brasil 386
Total 483
Visualizações de perfil
Antes do evento2689
Total2689